sábado, 18 de dezembro de 2010

Poema de Cláudia Rezende

O Natal é um tempo de escolhas
Decidimos onde queremos estar
Se com apenas desconhecidos
Ou no aconchego do lar.

Mas a certeza em tudo isso
É que de Deus não há como esconder
Sendo natal ou outro momento,
Sempre quer Ele nos acolher.

E como filhos amados
Por um Pai bondoso assim,
Saibamos agradecê-lo
Pelo Cristo enviado aqui.

Não é pouca a bênção recebida
Afinal ganhamos a salvação
Foi na cruz que o Cordeiro
Elevou nossa condição.

Éramos apenas criaturas,
Mas agora feito irmãos;
Deus é mesmo maravilhoso
Ama o nosso coração.

Então como não se alegrar
Junto com o aniversariante?
Ele comprou-nos com alto preço
Livrou-nos de sermos errantes.

Saibamos todos que o natal
É tempo de unidade
É tempo de família reunida
Em torno da felicidade.

                                     Cláudia A. Resende

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Quem é Jesus?

video

Por que Jesus veio ao mundo?

video

Jesus e as mídias sociais

Endereço:
http://www.youtube.com/watch?v=zsiNRVjELyk

Criança, tesouro da família

Era uma vez uma família que tinha um belo vaso que era uma relíquia dos antepassados. A pequena filha ouvia sempre a mãe dizer :
__Esse vaso  "é nosso tesouro de família".
Certo dia, ouviu-se um grande estrondo e a pequena menina começou a lamentar-se. A mãe, saiu correndo,  e a encontrou caída, chorando, ao lado do vaso quebrado.
__"Que aconteceu?" perguntou à filha.
__"Eu quebrei o tesouro de família"-   respondeu a menina ainda soluçando.
Sua mãe a levantou e disse:
__"Sim, mas você está bem".
Quando a  menina se tornou adulta comentou:
__"eu descobri, naquele dia, que eu era o verdadeiro tesouro da família."
(autor desconhecido - adaptação Senhorinha Gervásio)

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Crianças da Bíblia – Miriam e Moisés

Baseada em Êxodo 2

Todas as crianças são especiais para Deus. Ele quer que suas famílias as protejam e lhes falem do amor que  Jesus tem por todas elas. A Bíblia diz que um dia, alguns pais levaram seus filhos até Jesus para que os abençoasse. Os discípulos quiseram impedir. Mas Jesus ficou irritado com eles e lhes falou:
__Não impeçam as crianças de virem a mim, porque elas fazem parte do Reino de Deus.

Algumas crianças tiveram participação importante na história bíblica. Moisés e Miriam foram duas dessas crianças.
Tudo aconteceu na época em que os hebreus, estavam escravizados no Egito e faziam todo o tipo de trabalho pesado. Miriam era filha do Sr. Anrão e D. Joquebede e tinha um irmão chamado Arão. Eles eram descendentes de Jacó, que há muitos anos havia chegado ao Egito em busca de alimento, por causa de uma grande fome que aconteceu em Canaã. Quando Jacó chegou ao Egito sua família era um grupo de 70 pessoas. Mas na época de Miriam existiam tantos hebreus espalhados pelo Egito que o Faraó ficou com medo deles:

__E se fizerem uma revolução? - Pensava o Faraó.
Para enfraquecer o povo hebreu e impedir que se multiplicasse o Faraó  teve uma ideia malvada: fazer os hebreus seus escravos.

Mas Deus continuou abençoando o povo com muitos filhos. Vendo o Faraó que quanto mais trabalhava e sofria, mais o povo se multiplicava, teve outra ideia malvada: mandou matar os meninos que nascessem, deixando apenas as meninas vivas. Para isso, ordenou que as parteiras fizessem a matança no momento do nascimento dos bebês.

__ O quê? Matar os bebês? De jeito nenhum! - Responderam as parteiras para si mesmas.
Entre obedecer ao Faraó e a Deus, elas preferiram obedecer a Deus e deixaram os meninos viverem. Deus estava cuidando daquele povo. Seu plano era levá-lo de volta à terra de
Canaã, porque mais tarde, daquele povo, nasceria Jesus Cristo, o Salvador.

Mas aquele Faraó era cheio de ideias maldosas. Ele não desistiu. Já que os meninos continuavam nascendo, ele ordenou que todos os recém-nascidos fossem jogados no rio Nilo (Êxodo 1. 22).

Foi nesse tempo de maldade do Faraó, que Miriam e Arão ganharam um irmãozinho. O nascimento do menino foi um momento de grande alegria para toda a família. Mas também foi um momento de muita preocupação. Ele estava condenado pelo Faraó a morrer afogado no rio Nilo.

__ O bebê não pode chorar! – dizia a mamãe Joquebede.
A família toda corria de um lado para outro, organizando tudo para que ninguém descobrisse que na casa havia um bebê. Só que depois de três meses não tinha mais como esconder aquele bebê. Então, D. Joquebede começou a se preparar para levá-lo até rio Nilo, só que de uma forma bem diferente da ordenada pelo Faraó. Ela teve um plano para salvar o bebê da morte.  Ela teceu um cesto de uma planta de nome junco, que nascia na beira do rio. Passou betume no cesto para que não entrasse nenhuma gota de água dentro dele. Forrou-o com panos macios, deitou o bebê dentro dele e, acompanhada por Miriam, caminharam em direção ao rio. Cuidadosamente colocou o cesto, no meio dos juncos, um pouco acima da parte do rio onde a princesa, filha do faraó, costumava se banhar. D. Joquebede voltou pra casa, mas Miriam ficou de guarda, vigiando o irmãozinho.

De repente olhe só quem vem lá? A princesa!
Enquanto se banhava, a princesa viu o cesto no meio dos juncos e mandou a criada apanhá-lo. Ao abri-lo, viu que era um bebê e ele estava chorando. Ela reconheceu que aquele menino era dos hebreus. Ela se lembrou do decreto do seu pai: Todo menino hebreu deve morrer afogado no rio.

Mas como princesa poderia adotá-lo. E foi nesse momento que a esperta Miriam entrou em ação. Mais que depressa, saiu do esconderijo e se apresentou à princesa:

__ Quer que eu encontre uma mulher das hebreias para amamentar e criar o menino? – perguntou Miriam.

A princesa aceitou na hora. Quem Miriam foi buscar?  D. Joquebede  ensinou ao menino tudo o que ele deveria saber  sobre Deus.

Quando o menino já estava grandinho ele foi entregue à princesa, que lhe deu o nome de Moisés, dizendo:

__ “porque eu o tirei das águas”.

Moisés foi viver no palácio do Faraó e lá recebeu a educação de um príncipe. Mas ele nunca se esqueceu dos ensinos de sua mãe. Deus tinha em seus planos um trabalho grande para Moisés, Miriam e Arão: levar os hebreus de volta à terra de Canaã.

Miriam e Arão foram companheiros do seu irmão Moisés na difícil tarefa de guiar o povo hebreu pelo deserto, em busca da terra prometida. Daquele povo, anos mais tarde nasceria Jesus, o Salvador de todo o que nEle crê.


No endereço abaixo você encontra os slides para esta história

"Desenvolver um ministério infantil bem sucedido é um dos grandes desafios da igreja contemporânea. Mais que simplesmente entreter as crianças, o objetivo maior é o de transmitir princípios bíblicos que levem os pequenos a desenvolver um relacionamento íntimo com Deus".

A construção da igreja de amanhã começa hoje.

Nesse livro "Spurgeon, de maneira notável, nos desafia, demonstrando que falar de Jesus às crianças é a tarefa mais importante que uma pessoa possa desempenhar, quer seja ela um pai, professor, líder ou pastor".

Shedd publicações

Um livro de Alexandra Guerra, editora Betânia que convence pais e professores a investirem mais nas crianças, para o avanço do reino de Deus.

"A infância é o melhor tempo para semear sementes da Palavra de Deus na vida dos filhos e alunos, regar com orações e esperar em Deus uma grande colheita - homens e mulheres dedicados ao Senhor, capazes de transformar o mundo em que vivemos". 85% dos servos de Deus tiveram sua experiência de salvação em Jesus Cristo entre os 4 e 14 anos. Um excelente motivo para o investimento.

Sentir-se amada é uma necessidade básica da criança. E por que não dizer do ser humano? Com base nessa verdade os ecritores Ross Campbell e Gary Champman escreveram o livro "As cinco linguagens do amor das crianças" com dicas importantes para todos os professores, pais e todos os evangélicos que reconhecem a importâncisa do relacionamento.

Notas sobre os autores:
Gary Champman é conselheiro de casais e autor de vários livros.
Ross Campbell é conferencista e professor de pediatria e psiquiastria e também autor de vários livros, inclusive "Filhos felizes" e "Como realmente amar seu filho adolescente".

Pratique o sorriso